Delírios de Consumo

POR FAVOR, ANTES DE SE IRRITAR, SE OFENDER OU FAZER UMA CRÍTICA OFENSIVA, LEIA O POST INTEIRO. OBRIGADA.


Bonjour a tous!

Não sei se vocês se lembram, mas comentei no último D.I.Y. que eu estava fazendo vários posts desse estilo por dois motivos. O primeiro é que eu estava (e ainda estou) sem grana, e o segundo motivo eu gostaria de abordar com vocês em um futuro não muito distante.
Bem, que tal agora?

Muito bem, vou explicar com uma breve história.
Até 2008 a Internet só me servia para falar com meus amigos e para fazer pesquisas. Foi, inclusive, em 2008 que eu descobri a Black Rose, mas em nenhum momento pensei em comprar no site. Pra ser bem sincera, eu pensei: “nossa, quantas coisas legais, quando eu for à São Paulo quero ir à essa loja e comprar várias paradas!!”. Hehe, nunca aconteceu, o que tenho da loja foi comprado pela Internet. Mas enfim, voltando ao assunto…
No fim de 2009/começo de 2010 foi quando eu descobri a existência dos blogs de beleza na Internet. Foram eles que salvaram a minha vida nesse período pois me mantiveram entretida enquanto eu esperava os resultados dos vestibulares que eu havia prestado. Quero gravar um vídeo para o meu canal do youtube contando como começou minha paixão por maquiagem. Quando o fizer, posto ele aqui para quem se interessar.

Pois bem, se no ínicio eles salvaram a minha vida, algum tempo atrás eles estavam quase me destruindo.
Não sei se vocês concordam comigo, ou se algum dia sequer se sentiram da mesma forma, mas já reparam que, hoje em dia, a maioria dos blogs que falam sobre moda, maquiagem ou outros produtos relacionados, são verdadeiras vitrinas de marcas caríssimas?
Quando eu comecei a frequentar esses sites, eles me serviram como anestésico, ou melhor dizendo, como calmante. Eu literalmente estava no limite da razão, desesperada porque tinha certeza que não entrara em nenhuma universidade, além é claro do fato de eu estar longe dos meus pais, me sentindo uma inútil por não estar trabalhando, e horrível por ter engordado 12kg em menos de um ano. Ou seja, eu estava me odiando naquele momento, e os blogs de beleza e moda me serviram para levantar a auto-estima.

Isso até o momento em que eu passei a querer comprar TUDO o que as blogueiras usavam. Para ser honesta com vocês, eu ainda estou tentando entender exatamente o que se passou nesse período, por isso, talvez eu não consiga me expressar muito bem. De qualquer maneira, lá para metade de 2010 eu fiquei extremamente compulsiva. Muitas vezes deixei de comprar remédios e até de ir à faculdade para ter dinheiro para comprar roupas e cosméticos (principalmente cosméticos). Como disse acima, entrar nesse ou naquele blog é quase como assistir à um comercial de produtos extremamente caros e que poucos mortais têm acesso. Parece que a alegria de algumas blogueiras é mostrar a coleção de produtos da MAC ou o closet recheados de sapatos da Santa Lolla que elas têm – só para citar algumas marcas aleatórias. Mas o pior de tudo é que eu me deixei levar. Gastei dinheiro que não deveria ter gasto, comprei coisas fúteis que não representavam meu estilo. Passei, inclusive, a desejar seguir um estilo que, para ser sincera, nunca me atraiu. Logo percebi, entretanto, que meu padrão de vida não poderia bancar esses delírios de consumo. E então, novamente, fiquei chateada, desanimada e triste. Entrei na faculdade que eu queria, emagreci quase tudo o que tinha engordado, voltei a visitar meus pais mais frequentemente, não estava mais me sentindo inútil por não estar trabalhando, porque estudava (e estudo) o dia inteiro, mas continuava me sentindo mal, dessa vez, porque desenvolvera um consumismo exacerbado que eu simplesmente não poderia manter. Não sei se algum dia vocês já sentiram isso, mas é uma vontade de comprar incontrolável! Parece que o dia não fica bom enquanto nada for comprado. É o mesmo sentimento compulsivo que faz uma pessoa comer até passar mal. Juro, eu não tenho palavras pra descrever quão horrível é!

Minha alegria em estar finalmente colocando a cabeça no lugar é ainda mais difícil de descrever. Deve ser a mesma sensação que um viciado em drogas sente naqueles dias em que ele consegue se abster do vício. Entretanto, acredito que eu só estarei completamente bem quando procurar ajuda profissional, pois muito dessa nova compulsão é resquício daquele outro problema que já comentei aqui com vocês. Aliás, acho que eu esqueci de comentar que eu simplesmente abandonei a terapia. É… péssima ideia, eu sei. *por que sou tão sincera assim u.ú?*

Lentamente, foi caindo a ficha. Vivemos numa sociedade em que o TER ganhou muito mais mérito que o SER e, hoje em dia, a Internet é o meio mais efetivo de espalhar esse tipo de valor. Muitos blogs têm prestado um “excelente” serviço difundindo padrões de vida e de consumo que são inatingíveis para a maioria das pessoas. Não é TÃO difícil se deixar levar. E esse é o segundo motivo pelo qual eu quero postar, sempre que possível, “do it yourself’s” aqui no blog. Para mostrar que não é preciso vender os rins para ter peças/acessórios/cosméticos bacanas e, principalmente, para não influenciar outras pessoas negativamente.

Mas por favor, não quero ofender nenhuma blogueira que compra e/ou faz resenha de produtos caros na Internet. Se existem muitas delas que o fazem só para ostentar, também existem muitas outras cheias de boas intenções. Sinceramente, eu acho esse tipo de post muito útil. É muito melhor entrar no blog e ver resenhas desse ou daquele item antes de comprá-lo, do que gastar uma baita grana em algo e depois descobrir que não era um bom produto. De verdade, hoje eu agradeço à essas garotas (e alguns garotos também), porque muitas resenhas já me salvaram de produtos ruins. Ultimamente, sempre que quero comprar algo, pesquiso primeiro no google a opinião de alguém que já comprou, pra aí sim tomar a decisão de comprar ou não.

A verdade é que hoje em dia é preciso ter a cabeça no lugar, coisa que até pouco tempo eu não tinha. Não sei se vocês sabiam, mas muitas dessas owners ganham muito bem para manterem seus blogs. Seja por causa das propagandas feitas no site ou por causa das parcerias com lojas, algumas blogueiras ganham de 3 à 10 mil reais em média! Sem contar o fato de muitas delas receberem produtos das marcas e até mesmo a facilidade de ter algum parente ou amigo no exterior. Sendo assim, é claro que elas podem se dar ao luxo de usar produtos ótimos e caríssimos. Não é, por exemplo, o meu caso que vivo com uma mesada que meu pai me dá, com MUITO esforço, para pagar as contas do mês, ir à faculdade, tirar xeroz, comprar algum livro estritamente necessário e, bem… viver!
FATO, a maioria (mas não todos) dos cosméticos, roupas, sapatos e afins, que têm preços pouco acessíveis, possuem uma qualidade melhor. Porém não quer dizer que são os únicos produtos bons que podem ser encontrados no mercado. Descobri que muitas marcas nacionais tem se espelhado nessas outras mais “tops”, e produzido produtos similares com preços que cabem no bolso. É só pesquisar na Internet que você vai encontrar. Pena que até aprender isso, eu gastei muito dinheiro com coisas que não acrescentaram nada a minha vida.

Se você se encontra no mesmo quadro que eu me encontrei algum tempo atrás, pare e reflita: você não acha que estão tentando enfiar goela abaixo um estilo de vida que pode, na maioria das vezes, não te representar em nada?

Espero muito que esse post não tenha sido EXTREMAMENTE boring e, pelo contrário, que eu possa ter ajudado alguém com as minhas ideias e opiniões. Por falar nisso, não deixem de comentar, ok?

Para finalizar, segue uma música que eu tenho ouvido bastante na minha mente sempre que estou prestes a ter uma recaída.

Au Revoir!

10 Responses to “Delírios de Consumo”

  1. Bah, o post é extremamente sincero, muito instrutivo e válido. O mais importante é q isso tb serve como uma espécie de terapia, vc pode falar, pode expressar tudo o q está sentindo, o q está passando, e eu sei o quanto isso faz bem, parece q nos liberta de um peso q carregamos. Essas dificuldades e os desafios q se colocam a nossa frente, são com toda certeza algo q podemos suportar, se não, não seriam colocados para nós e caso algum dia vc achar q não vai conseguir encarar sozinha, lembre-se, vc tem amigos q podem ajudar vc a carregar tudo isso. Resumindo, vou usar um termo bem do "carioquês", TAMO JUNTO menina, bjos!!! Obs: Não sei se consegui me expressar muito bem, mas tentei, vc me conhece, rsrs. Ass: Rafael Crespo

  2. Bárbara, saiba que eu achei este post EXTREMAMENTE ECXELENTE!!!Eu já percebi isso há um bom tempinho também, noto que a merchandising é VIOLENTA nesses blogs. Quase sempre que eu vejo alguma resenha interessante, pesquiso sobre os produtos e quase caio dura quando vejo os preços, daí, acontece comigo algo um pouco diferente do que acontece com você – eu me sinto péssima por NÃO PODER COMPRAR aquilo que me interessa. Só eu sei quantas vezes me tranquei no quarto pra lamuriar sozinha (porque ninguém é obrigado a aguentar semelhantes chiliques toscos) por causa dessa sensação de ser menos que todo mundo. E isso não acontece somente em relação aos blogs, mas à muitas outras coisas que eu vejo por aí, visto que eu sempre tive um complexo de inferioridade violento e eu facilmente fico triste, pra não dizer outra coisa (sem falar que no meu caso isso vai além do consumismo).Mas enfim, agradeço à Deus por sempre conseguir superar essas chateações corriqueiras, autocontrole é uma coisa que eu, em uns 95% dos casos rs, consigo impor a mim mesma. Consigo administrar bem a pouca grana que tenho, dificilmente dou uma escorregada aqui ou acolá. Mas eu não compro o que não posso e ponto. Paciência.Uma coisa que eu sempre faço é pesquisar bem os sites que vendem as coisas que me interessam, e eu sempre acho um mais barato rs; outra coisa que eu venho fazendo quando dá é comprar de sites internacionais (mas não de marcas caras, claro rs, não tenho cacife para isso rs), porque mesmo com a demora na entrega o custo chega a ser 50% menor, ou mais até. Sem querer ofender, mas por aqui tem lugar que é RIDÍCULO, vendendo produtos por quase o triplo do preço (já cheguei a ver sites vendendo umas bostinhas de cílios postiços por quase cem reais o kit!!). É até compreensível, o lucro é necessário para qualquer empresa, mas então eu prefiro comprar direto da fonte!!! Muahahahahaa…Mudando de assunto, eu até sabia (porque dá para notar) que certas blogueiras ganham brindes devido à divulgação, mas juro que não imaginava que rolava TANTA GRANA ASSIM!!! *O* … No more comments about that kkkkkkkSabe, eu não acho tanto o que vc disse seja uma questão de impor um padrão de consumo, mas sim de OSTENTAÇÃO, que por consequência se torna imposição, já que é bem natural a mulherada querer o que as outras têm kkkkk… sem falar que tudo nesse nosso mundo moderno gira em torno do consumo = /… há um booom tempo TER vale muito mais do que SER, infelizmente.Eu tinha mais coisas pra dizer, mas acabei esquecendo aushaushaaa, sem falar que já falei demais (sempre falo O.o).Para quem não gostar do que eu disse, me avisa por e-mail que daí eu dou o endereço da minha casa e assim você(s) podem vir me "peitar" pessoalmente = *, porque eu penso mesmo, falo mesmo e DANE-SE (e olhe que eu me contive e omiti muito do que eu queria dizer).Parabéns, Bárbara pela sinceridade e pelo excelente post. Keep strong!! HeheBjo bjoo ♥

  3. Ah, que bom que vc está mudando!;)Realmente tem muita gente que dá mais importância em ter do que ser e viver… Esse assunto dá uma longa discussão…Se precisar de ajuda pode contar comigo! o/;*

  4. Bem,realmente principalmente o mercado de cosméticos é um mercado que visa "rebocar paredes podres",boa parte das propagandas mostram pessoas "felizes" e muito bem sucedidas em tudo.Blogers e marketeiros em boa parte dos casos querem vender a imagem que você só terá felicidade adquirindo esse ou aquele produto,que só a marca X ou Y podem fazer milagres instantâneos,mas pouco após a euforia da aquisição você se depara com aquela sensação de ainda falta alguma coisa.Achei extremamente pertinente o exemplo das drogas,é bem legal parar,apesar de durante algum tempo você ainda querer quando está meio depre,lembrar do sentimento de liberdade de ficar sem algo que serve apenas como um anestésico e que esse tipo de dor só passa quando se preenche com o que é certo.Graças à Deus eu tenho visto essa mudança de pertinho e espero ter ajudado pelas milhões de vezes que enchi seu saco falando que você não precisava disso ou aquilo.Não acho exporadicamente adquirir algo de uma qualidade melhor(CARO) seja errado,o problema é querer tudo e sempre,e que quando se tem muito às vezes pra pessoa não é o suficiente.A graça do "Do it yourself" é que mostra a beleza de vo~e fazer as coisas pra se embelezar,ficar conforme seu gosto e isso é uma coisa maravilhosa(muito pós punk por sinal)!A "sociedade do descartável" tem mostrado que as pessoas sabem o PREÇO de tudo e o VALOR de nada e que as pessoas coeçaram a tratar umas às outras como objetos.Também importante frisar que é muito importante procurar opinião de outras pessoas que consumiram o produto e julgar se tem um bom custo/benefício.Fico muito feliz com esse post porque mostra,mesmo que por exposição,um pensamento que muita gente se identifica ou parará pra pensar sobre "esse mundo que não vale o mundo".Lei da identifcação que tanto te falo né?kkkkBeijão PARABÉNS mesmo pelo post e por mostrar sua opinião e defende-la!Te amo muito: Lu

  5. Uia Bah, muito chocante o post…chocante pq infelizmente é a realidade u.uvc e não é a primeira e nem a ultima a passar por isso.Sou um pouco consumista, [bem menos que vc rs] gostaria de poupar mais o meu dinheiro. Porém eu não gasto mais do que eu ganho, querendo ou não, já é um ponto positivo [eu acho].AH, já comprei coisas pq vc falou que era boa e tals, fez a maior propaganda e eu comprei. =/ hsuahsuahsa e nem usei.No meu blog, normalmente posto coisas baratinhas justamente para mostrar para os outros que produtos baratinhos tbm são ótimos, ou estão melhorando.Esses dias, depois que eu comprei algumas coisas [roupas pq acho que não é um gasto em vão] fiquei triste e não entendi o pq… depois refletindo vi que eu não precisava comprar tudo no mesmo mês e sobrar um dim dim para outras coisas. Parar de ser afobada e querer tudo na HORA U.UAcho que a gente evolui quando cai em si e reconhece os nossos erros…pelo visto meninas, estamos no caminho certo!! o/Espero que vc supere isso e todas que estiverem nesse mesmo conflito.Beeijos

  6. O seu post foi muito verdadeiro! Já fiquei mal por ter gastado o que não podia e ainda pior, por não poder comprar algumas coisas que queria (vc não é a única Eduarda). Passei por todas essas frustrações… E sabe de uma coisa, eu já estava prestes a ter uma outra recaída. Mas cheguei a me assustar com o que eu li! Era tudo o que eu precisava "ouvir" (ler). E como você disse, não precisamos TER pra SER. :DBom, agora vou ficar aqui me controlando tbm! RSBjs.

  7. Seus lindos *-* Obrigada pelo apoio!!De verdade, eu sinto vergonha de postar essas coisas, mas imagino que dividir minhas experiencias, por mais dolorosas que elas sejam, pode ajudar outras pessoas a não cometerem os mesmos erros que eu.Felizmente, hoje eu estou BEM mais controlada. Falo que vou/quero comprar um monte de coisas, mas acabo nem comprando tudo, graças a Deus! Autocontrole é uma coisa que eu nunca aprendi a desenvolver, em vários aspectos. Felizmente ou infelizmente estou aprendendo da forma mais dolorosa. Entretanto, acredito que é melhor aprender, mesmo que seja de uma maneira dificil, do que nunca aprender e se dar mal a vida toda.Novamente, agradeço MUITO o apoio!!!Vocês são 1000 s2Beijos

  8. Primeira vez que entro em seu blog e esse post caiu como uma luva em mim!Apenas agora eu estou acordando pra isso. Como você disse "Parece que o dia não fica bom enquanto nada for comprado." e a sensação de abstinência VOLUNTÁRIA é tão mais satisfatória quanto a da compra. Por exemplo, já faz uns 3 meses que abro os catálogos da Avon e da Natura e não compro um único item de maquiagem. Só comprei coisas para o cabelo que eu ESTAVA PRECISANDO. Foi uma vitória! Antes era uma lista com uns 8 itens… Fora uns outros deslizes com produtos caros na minha ânsia de curar a minha acne. Gastei muito MESMO! (Meu último delírio foi gastar R$168 numa limpeza de pele na Anna Pegova que infelizmente foi um desperdício de dinheiro). Tudo em nome da ansiedade, não é mesmo? Gostei do seu blog! Vou favoritar aqui!Beijos

  9. Oi Giuliana ^^ Como eu disse, se eu puder ajudar alguém com minhas experiências, por pior que elas sejam, então vale a pena fazer posts como esse. Fico feliz por ter te ajudade de alguma forma.É aquele negócio, nessa sociedade superficial, onde nosso valor como seres humanos vai até onde nosso poder de aquisição consegue alcançar, não é dificil se deixar levar, não é mesmo?Obrigada pelo comentário e por favoritar o blogBeijos

  10. Bárbara, vim aqui pra dizer que simplesmente AMEI seu post no heart-pieces…vi seu vídeo também…posso dizer que você disse tudo que eu sempre quis dizer e penso, sobre esse consumismo babaca de produtos caríssimos que algumas blogueiras pregam por aí…tanto me identifiquei, que vim aqui pra te mostrar um post que fiz, falando mais ou menos disso (eu fiz o post antes de ver seu vídeo)…Queria que vc desse uma olhadinha e sua opinião também…(eu me identifiquei MUITO com vc, em muitos aspectos…engordei muito tbm, tô morando longe da casa da minha mãe, tô me virando com o que tenho…comecei a ver blogs e vídeos de make mais ou menos em 2009 também…gosto musical…enfim, muitas coisas…)E achei muita sinceridade no que vc disse…achei isso mto legal!!Enfim, parabéns e continue com seus tutoriais =)Bjswww.blogrockeragem.blogspot.com

Em busca de respostas? Eu também, então deixe seu comentário, opinião ou sugestão que lerei com muito carinho

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: