Christmas "mourning"? It depends of you.

 Olá, meus amores.

Sei que faz muuuito tempo que eu não posto aqui, mas é que eu passei por maus bocados há pouco tempo atrás, maus MESMO. Por conta disso, tive de ir morar em outro lugar e fiquei um bom tempo sem Internet, e, além disso, eu estava totalmente sem ânimo até para respirar. Mas agora está tudo bem (se é que alguém se importa rsrs), apesar da pequena melancolia que eu ainda carrego no peito, resultado do clássico coquetel “pós-tumulto” de desapontamento para consigo mesmo, remorso e tristeza por não ter a vida com a qual eu tanto sonho, além de outras coisas que são assunto só meu.
Curioso como esse tipo de chateação acontece sempre perto da época das festas, não? Na verdade já faz um bom tempo que eu não crio tantas expectativas para as festas, principalmente por causa das minhas nesses últimos anos, que poderiam ter sido melhores. O fim de ano, especialmente o Natal, é considerada por muita gente uma das mais péssimas épocas de todas; e creio eu que, em geral, isso acontece por causa do nosso egoísmo, que faz com que nós não admitamos o fato de ver tanta gente contente enquanto nós estamos mal. Claro que existem casos mais extremos, como acidentes e falecimentos, que devem ser considerados à parte. Mas o estranho é que o Natal é sim uma data meio melancólica para muitos, até para mim.
Pensando nisso, decidi repassar aqui um artigo que eu li no Yahoo que pode ser de grande ajuda para muitos, além de fazer a gente pensar no lado bom da vida; em mim essas mensagens não fazem efeito rs, bem que eu gostaria, mas só porque comigo as coisas são assim não quer dizer que eu tenha de corroer as outras pessoas, muito pelo contrário. Eu sempre faço o contrário. Por mais que eu não esteja nos meus melhores dias, gosto sempre de fazer com que os outros sintam-se bem, gosto de animá-los, ou ao menos tentar.
Sendo assim, leiam o artigo e, se estão tristes, fiquem bem; se estão contentes, fiquem mais ainda!! Hehehe ^ ^
—> A primeira frase dá ao artigo um ar meio besta, mas depois fica bom, ok?
O NATAL ME DEIXA TRISTE!
Por Sandra Maia
 O que mais ouço dos amigos e amigas solteiros e, até de alguns casados, é que o Natal, a data em si, os deixa triste.
E, posso dizer a você leitor que, durante muitos anos, essa data
também me deixou chateada. Natal, para mim, significava ficar com a
falta. Com o que não possuía. Ou seja, com o casamento que não ia bem,
com o companheiro que não era ideal, com o presente que não ganhei, com a
festa sem um ou outro membro da família, com o que não possuía.
E, o que mudou na minha vida, nos últimos anos?
Por que agora, de repente, o Natal é a festa mais esperada do ano?
Aprendi a ficar com o que tenho.
Passei a compreender o real significado do Natal que vai além, muito
além da troca de presentes. Se bem que é verdade que tudo o que o mundo
preparou para o Natal com Papai Noel, a Ceia de Natal, as músicas, a
decoração com árvores coloridas, pisca-piscas, guirlandas, presépio,
tudo faz da data uma festa linda. Eu diria, a festa da família. Talvez
aí esteja o problema.
Para aqueles que perderam sua família, para os que não constituíram
família e para os que estão sós, talvez o Natal possa mesmo parecer
triste. Mas isso tudo pode ser repensado, e é por isso que escrevo a
você, leitor. O que podemos fazer para comungar do espírito de Natal? O
espírito da doação, da caridade, da compaixão, do renascimento? O que
podemos fazer para que tudo a nossa volta se transforme e passe a ser
feliz?
O sofrimento e a tristeza são, muitas vezes, opcionais. Podemos dizer
a um e outro, queremos mais. Queremos mudar, queremos acordar
diferentes hoje.
É óbvio que não é assim simples, mas é possível. É possível mudar o
nosso modo de ser. Não é fácil, mas é a nossa vida que está em jogo e,
por isso, por que não escolher o novo, o diferente? Isso tudo demanda
autoconhecimento. Para que possamos mudar, é preciso primeiro saber como
somos e como queremos ser. Ou seja, para dar um passo, é preciso saber
em que lugar estamos, em que terreno estamos pisando e para onde
queremos ir, quais são nossas limitações e o que precisamos para
superá-las. Em qual terreno queremos entrar…
Posto isso, porque não inventar, darmo-nos  a chance de fazer um dia
25 diferente? Para os que tem família — um evento de ação de graças.
Para os que não têm, por qualquer motivo, por que não ajudar-se a ajudar
a quem precisa? Por exemplo, convidar os amigos na mesma condição e
organizar um lindo evento. Por que não — mudar — e fazer deste um Natal
completamente diferente do que está acostumado a viver e experimentar?
Além disso tudo, há sempre o nascimento do menino Jesus. Comemorado
no dia 25, desde o ano VI DC, o que torna o Natal um evento fantástico.
Que traz além de tudo o que é material, o espiritual…
As cerimônias religiosas são belíssimas e cheias de mensagens de paz, amor, esperança e muito, muito amor.
Nesse sentido, você leitor já percebeu que há muito para fazer no
Natal. Muito mais do que se entristecer e querer fugir, fazer de conta
que não existe. Há muito a fazer, além de comprar o melhor presente ou
preparar a melhor lista de presentes, a melhor ceia.
Há que contagiar-se com o espírito natalino.
Apossar-se do seu lado bom, belo, verdadeiro. Do seu Eu Superior, do seu Ser de luz, amor e paz.
E, nesse sentido, quem sabe, experimentar a compaixão, a caridade, o amor?
E, imbuídos disso, por que não se perdoar de todos os seus erros,
perdoar o outro, os outros, zerar. Libertar-se de tudo o que faz mal
para começar um novo ano cheio de paz?!
Experimente, venho fazendo isso há algum tempo e garanto a você, o
Natal nunca mais foi triste. Ao contrário, a cada ano, entendo essa data
como um presente divino. Um presente para nos mostrar o quanto ainda há
a caminhar.
Acredito, verdadeiramente, que esse é o nosso maior presente.
Refletir. Refletir o que passou, o que queremos para o futuro. Refletir
sobre nossos sonhos, nossas relações, nossa vida. Então, é só sair para o
abraço e ser feliz. A noite do dia 24 promete! Experimente, mude sua
escolha.
FELIZ NATAL!
Fonte:  http://br.mulher.yahoo.com/blogs/amoreoutrascoisas/o-natal-deixa-triste-144940236.html
Bem pessoal, é isso. Espero que vcs tenham gostado deste post natalino = ). Por favor, não deixem de comentar, e aproveitem para dar sugestões de temas que vocês gostariam de ver abordados aqui no blog.
Fiquem com um som do Madman para entrar no clima de festa ^ ^ ( é que eu toh ouvindo agora e isso “contaminou” o meu fim de post rsrs).
 Have a Heavy Christmas, see ya


4 Responses to “Christmas "mourning"? It depends of you.”

  1. Amei o post! Eu e minhas amigas conversamos exatamente sobre isso. E olha que não lemos a matéria. Acontece com a maioria das pessoas mesmo. E é muito bom, quando começamos a encarar as coisas da vida de uma forma melhor e mais positiva! Não é muito fácil, mas um dia a gente chega lá!😄

  2. Também gostei do post, só não comentei antes porque estava com preguiça de logar rsrsrs.Engraçado que eu estava afim de escrever algo do tipo no sábado, mas não tinha idéia do que escrever exatamente. Eu sempre tentei me manter firme as coisas que eu tenho, não só materias, mas meus relacionamentos também. Só que nesse Natal eu estava tão pra baixo… Esse texto caiu como uma luva ^^

  3. Olá, muito obrigada ^ ^ !! Fico muito contente por vocês terem gostado = DPois é, Lauren, a verdade é que essa sensação é muito mais comum do que a gente imagina, tbm concordo com isso… Hehe, com certeza a gente chega lá, sei lá como rs, mas chega!Bárbara, isso tbm acontece muito comigo, sabe rsrsrs ^^…Que ótimo que este texto tenha te ajudado, sério. Creio que sei como você se sente, também tento sempre manter tudo firme, apesar de, no meu caso, ser EU a causadora da maioria dos meus problemas rs, daí fica complicado mesmo né rs, eu acho que é algum defeito de fabricação aushahsaa… =PE espero que vocês tenham tido um excelente Natal, e que tenham um excelente ano novo também!Bjoos ♥

  4. Ahh o Natal… eu pensava igual a você e ainda pior, colocava músicas deprimentes e chorava porque não tinha nada do que eu queria. Mas o que eu esquecia é que já tiveram Natais ótimos, quando eu era pequena e assistia filmes bestas e comíamos cookies para ir dormir e quando acordávamos tinha presentes embaixo de nossas camas. Mas lógico, depois de saber que Papa Noel não existe e ir morar longe dos pais era sempre muitoooo ruimm. Ano passado tive meu melhor Natal, cozinhei, juntei os amigos e foi ótimo, rimos muito e eu amei.

Em busca de respostas? Eu também, então deixe seu comentário, opinião ou sugestão que lerei com muito carinho

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: