PARTE 1 – DIA INTERNACIONAL DO ROCK
Eu detesto atravessar post, ainda mais um maravilhoso com super dicas de leitura como este da barbara abaixo, mas é por um bom motivo! Ontem foi dia mundial do rock, e é claro que nós não poderiamos deixar esta data passar em branco, não é mesmo? Afinal, é o rock que alimenta nossas veias e nos faz ter esse diferencial do mundo como se fossemos um novo tipo de raça, sem cor de pele definida, apenas ligados pelo sangue musical!
Mas, este post tem que começar com um apelo, na verdade é mais uma suplica: Não deixe o rock morrer! Sim, o bom e velho rock n’ roll, seja ele no estilo metal, progessivo, black, gotico e afins, não vamos deixar o rock morrer, pois infelizmente ele anda moribundo e rastejante levando pouco da essência que contagiava todos nós. Me diz, mesmo não levando em consideração ao estilo de rock que tu é, mas vai me dizer que nunca cantarolou um refrãozinho de Kiss? Que nunca balançou a cabeça ao som de Metallica, ou que nunca caiu num momento nostalgico e apaixonado de um bom Led Zeppelin? Pois é, o rock contagia, e mesmo que damos uma de durão e respondemos não a todas estas perguntas, pode ter certeza que algum membro de nossas bandas favoritas já fez tudo isso, e mais ainda, foram estas bandas que os influenciaram, que os fizerem respirar o melhor do mais puro rock’n roll.
Por mais que o rockeiros sejam tachados de vagabundos, drogados, por mais que travessem a rua ao nos verem passar, por mais que haja tantos preconceitos: Long live rock n’ roll!
Por mais que a sociedade tente me fazer acreditar que a cor do meu cabelo minhas roupas sejam ridículas, por mais que tentem me dizer que minhas musicas não prestam, levo o rock em mim e não tenho medo de encarar o mundo de forma diferente, eu não quero nadar a favor da maré, eu quero ser como Janis Joplin, eu quero ser como Kurt Cobain, e por mais que eu tiro o “sexo e drogas” das minhas escolhas, eu sempre vou escolher o rock n’ roll.
Eu não troco meu coturno por um sapato social, e mesmo quando minha vida pedir que eu o faça, pode ter certeza que eles estarão me esperando em casa, junto com os cd’s das minhas bandas favoritas e aquelas minhas roupas diferentes, por que eu não sou mais uma que espera aceitar todos os estilos novos que aparecem na TV, eu gosto é do bom e velho rock, das guitarras, das vozes angustiantes, das roupas diferentes, dos cabelos coloridos! Vamos levantar a bandeira do rock, hoje e sempre, vamos reavivar a galeria, como quando comecei a trabalhar lá, a 6 anos atrás, quando as pessoas tinham orgulho de suas tribos, de quando elas faziam história. Chega de Restart, de Cine, de Pitty, vamos reviver o rock não comercial, vamos dizer não ao lixo produzido em fabricas musicais, vamos recriar o passado com novas tendencias do futuro!
(na foto: meus pezinhos e do @Cahh_manson na galeria no dia do rock)
Parabéns a todos vocês que fazem parte desse mundo, todos vocês que eu vejo na Galeria com seus sobretudos, seus espartilhos, sua jaqueta ou até mesmo com aquela simples camiseta de banda e calça preta, vocês alegram meu dia, vocês revivem o rock um pouco mais a cada dia! Obrigado!
Em off: Neste mês na galeria do rock tem shows todos os sábados no quinto andar, aproveite para assisti-los, é de graça! E você ainda pode encontrar os amigos naquele tradicional encontro na av. São João, bem de frente a entrada. Só na galeria você encontra o melhor para o rock. Esse mês tivemos intervenções, exposições, fotografias como estas acima, feitas no dia mundial do rock numa campanha na galeria, com roupas da loja black rose http://www.blackrose.br21.com

PARTE 2 – THE BURLESQUE TAKE OVER – O ESTILO CABARÉ VOLTOU!
Sempre que eu tenho tempo de procurar um evento interessante faço questão de compartilhar com vocês, da ultima vez falei sobre o estilo STEAMPUNK, e agora trago para vocês o estilo Burlesco:
O estilo burlesco surgiu na Itália, em meados do século XVII, como forma de interpretação teatral que buscava satirizar textos famosos. Com o tempo, apesar de esse caráter satírico não ter se perdido, o burlesco tomou os primeiros passos em direção ao tom erótico pelo qual é conhecido atualmente. Esse lado do estilo ficou bastante conhecido na França, onde era chamado de burlesque.
Esse tipo de apresentação passou por um declínio e, hoje em dia, é mantido vivo por algumas mulheres que aprenderam os movimentos e sabem carregar consigo todo o luxo e glamour que a dança requer. No passado, a maior representante do estilo foi a dançarina Gypsy Rose Lee e na atualidade, a performer e modelo Dita Von Teese. Esta se encaixa nos padrões da mídia e, por isso, atrai muita atenção. Porém, não é a mais revolucionária, nem a mais importante. É apenas a mais publicada.
Para a dançarina  Sweetie Bird, o Burlesco é uma forma de apropriação de clichês, sempre com muito bom humor. Ela conta que se apaixonou pelo estilo há três anos, quando começou a se apresentar e, a partir de então, não parou mais. “Honestamente, foi o burlesco que me escolheu. Estudo vários estilos de dança, mas o burlesco como gênero teatral me dá a liberdade para incorporar todo tipo de referência maluca e incongruente”, diz a dançarina.
EVENTO BURLESCO PARA QUEM QUISER CONFERIR, ROLA NESTA SEXTA, 15 DE JULHO EM SP:
(na foto Sweetie Bird, uma das dançarinas do evento)
Quando começou, em 2006, a cena burlesca paulistana contava com pouco mais do que duas corajosas dançarinas e um punhado de admiradores. Após shows de talento, shows de variedade, cabarés e festivais, em 2011, pode-se dizer que o número de fãs e dançarinas cresceu exponencialmente.

Inspirado no formato do Slipper Room em Nova Iorque, e na cena burlesca colaborativa norte-americana, “The Burlesque Takeover” é algo que ainda não havia sido feito por aqui. Por um lado, é uma comunidade. Por outro, é uma festa onde o burlesco é grande atração.Nosso objetivo é aproximar performers e apreciadores de uma maneira divertida.

Tutorial de Tassel Twirling
Sorteio de Pasties e Champagne

Performances burlescas:
Lady Burly – Even more bumps & grinds
Sete de Ouros – o elástico As do boylesque
Demoiselle Mimi Mi – Le Veritable Faux
Sweetie Bird – The Sweet Bird of Burlesque

Apresentado por: Luminati – The world’s most depressed M.C.

Hostess: Dinha VonBoop
Hostess do Lounge: Iz Delicious

DJs:
Angelo Malka
Karen Bachega
Márcio Custódio
Humberto Luminati

Até 1h, Mulheres VIP e Homens R$ 20 Consumação
Mulheres: R$20 consumação ou R$ 10 entrada
Homens: R$ 40 consumação ou R$ 20 entrada
Com nome na lista R$10 consumação a noite toda. (theburlesquetakeover@gmai​l.com)

Dress Code é sugerido, não obrigatório.

Container Music & Arts:
Rua Bela Cintra, 483
São Paulo – SP

http://www.containermusica​rt.com.br/

Mais informações: http://www.facebook.com/pa​ges/The-Burlesque-Takeover​/165042620224613

Eu já estou com meu corset, minhas rendas e maquiagem pronta pra ir, e você?
Encontro com quem for lá!
Beijos a todos e viva ao rock! semana que vem posto as fotos da festa, ok?

2 Responses to “”

  1. Amei o post, Parabéns!!!Também sinto que boa parte da juventude de hoje deixou o verdadeiro rock para curtir estas bandinhas por você mencionada!!! Eu e minha família fazemos nossa parte colocando muito rock de verdade para nossos pequenos ouvirem e tenho orgulho quando os vejo balançando a cabeça ao som da música!!!Long live rock n' roll!!!!Bjus… Mille.

  2. F*CKIN' GREAT *__* !!!Bem. Geralmente eu estou pouco me lixando para o que a garotada anda fazendo por aí, passo o meu tempo curtindo tudo o que eu adoro ao lado de quem eu adoro, mas creio que é importante sim ao menos tentar levar o espírito do rock n' roll à todos, e eu não deixo de passar as minhas más influências sempre que possível rs. Sim, eu amo as minhas roupas pretas (embora elas não sejam tão bonitas assim rs), minha maquiagem, meu coturno velho rs, meu semi-novo cabelo cor de merthiolate, o meu quarto que até hoje tem as paredes pretas e é forrado de posters do chão ao teto (só tiro aqueles posters se eu me mudar de casa! E vou recolocá-los no suposto quarto novo rs), meus cd's e dvd's das minhas bandas favoritas que me dão vida todos os dias (UP THE IRONS!!! ^ ^), meu namorado e super companheiro heavy metal… Enfim. TUDO, eu amo tudo o que eu sou e eu não existiria se fosse pra ser de outra forma. Quem quiser olhar que olhe, quem quiser falar que fale – eu sei que no fundo todos me amam kkkkk' (coitada). Apesar que ninguém mais me critica, pelo menos quem é próximo de mim, até acontece o contrário, quem gosta elogia e quem não gosta simplesmente desistiu de me criticar. Vaso ruim não quebra.Agora, se aí em São Paulo a coisa tá meio "desanimada", imagina aqui onde eu vivo?! Se for pra depender dos outros, a gente morre de tristeza (para não usar outro termo mais grosseiro rs). O importante é a gente estar sempre bem consigo mesma (o) e f*da-se o resto do povo.ROCK N' ROLL IS FREEDOM!!!—> Toh babando de vontade de ir no evento… = ( (é nisso que dá morar na p*taquepariu…= /)Ótimo post, ameei!!!^ ^

Em busca de respostas? Eu também, então deixe seu comentário, opinião ou sugestão que lerei com muito carinho

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: