Se você quer ser diferente, então seja diferente… não temos muito tempo para ter medo, então acho melhor termos tempo para ser nós mesmo.

E assim, num tom de desabafo que começo o post, depois de uns diazinhos sob teias de aranhas, trago a todos vocês, pacientes seres que visitam esse blog, um tema um tanto quanto delicado: O que houve com o estilo? O que houve com a vontade do jovem de exprimir através das roupas aquilo que ele guarda no interior? Tá, eu sei que roupa não diz nada, o que conta é a atitude, mas e se pudéssemos juntar tudo isso? Não seria maravilhoso?

Eu sempre digo que nasci em época errada, queria ter nascido em época vitoriana, usar todos aqueles espartilhos e vestidos rodados, uma bela dama, ou quem sabe eu pudesse voltar nos anos 80’s, usar botas até a coxa e jaquetas de lurex com saias de cintura alta, dançar nas pistas ao som de Billy Idol nas falecidas boates góticas.

Mas hoje, tudo está morto! Já dizia Cazuza: todos meus heróis morreram de overdose, ele só não preveu que os que vieram para substituí-loss foram manequinssupérfluoss da sociedade comportada, como o restart, que de revolucionário tem só a breguiçe de ter coragem de sair com calças coloridas e óculos sem lentes.

O que eu quero dizer é que sinto aquela falta nos jovens de ser diferente… eu sei que a sociedade é esmagadora, que a sociedade quer estabelecer padrões corretíssimos, mas o mundo também está sendo dominado por jovens, a cada ano que passa aumenta o número de jovens empresários, empreendedores, jovens que lutam pela diferença, por ideias novas. A cada dia que passa encontra mais homens engravatados, com suas mangas dobradas até o cotovelo, exibindo alargadores e tatuagens por toda a pele. Um dia eu acredito que o mundo terá menos preconceitos contra nós, pessoas que fazem a diferença no mundo com seus cabelos coloridos, com suas unhas pintadas e tatuagens estampadas… então: não deixe isso morrer em vocês, isto é quase um apelo, pois é a juventude que poderá transformar um mundo num lugar alternativo.

Por mais que sejamos obrigados a nos camuflar durante o dia, vamos colocar aquela pulseirinha, o brinquinho de caveira minusculo, uma sombra preta, algo discreto que nos remeta aquilo que gostamos, e nos finais de semana, vamos tirar do armário nossos coturnos empoeirados, velhos companheiros de guerra, o espartilho tão adorado pelas garotas underground, e a maquiagem exuberante carregada por ambos os sexos.

Não tenha medo do preconceito, mesmo que ele bata em sua porta. Você é diferente, você faz a diferença, se não pra eles, para o mundo underground que se tornou tão escasso. Para nós você não é apenas um grão de areia no meio da praia, para nós você é alguém além da multidão, é alguém com estilo, sem medo de ousar.

Ouse e não deixe isso morrer.

É o que eu espero para todos nós.

2 Responses to “”

  1. Olá!Incrivel estavamos meu namorado e eu conversando sobre isso semana passada, após voltar de um bar na sexta de madrugada.Estranhei pessoas ''normais'', frequentando um show de hard rock.Não tinha brilho, não havia Glam e nem identidade.Indo aos shoppings, é muitissimo dificil achar roupas que me agrade, ou até mesmo no centro, tudo muito padronizado.E os jovens, todos iguais, sinto saudades de quando reunia o pessoal ''dark'' sentavamos no meio fio p conversar e beber.Hoje estes jovens se limitam a trocar ofensas em redes sociais.Artistas sem fundamentos, mensagens e qualidade é o que vejo hoje em dia.E vi muitos cortando os cabelos,e deixando de frequentar a ''cena'' para seguir a massa e ir em ''baladas'' de psy e essas coisas.Onde o pessoal ainda é fiel ao estilo underground, é em eventos nos quais a Puppet organiza, não é a minha praia (apesar de já ter frequentado) mas é o que resta por aqui.O resto são orfãos de um bar chamado Hammer, onde rolava muita coisa bacana.Outro dia vi uma garota de aproximadamente 12 anos, com uma camiseta do Rammstein, fotografei…Os jovens ''lutam'' e protestam sem saber o que e porque, só fazemporque está na modaJá estava sentindo falta dos seus textos.Boa sorte na busca para colaboradora=*http://perspectivalterada.tumblr.com/

  2. É, eu sei como é isso! Acho tudo muito sem graça, pois não há mais espaço para as artes. Isso que hoje em dia chamam de "arte" não possui profundidade de sentimento. Sei também exatamente como é desejar ter nascido em outra época. Gosto muito também da época Vitoriana e gostaria do fundo da alma ter nascido na Idade Média (que é injustamente chamada de Idade das Trevas, sendo que a época atual é a pior de todas para se viver). Sempre que posso ponho minha maquiagem pesada, minhas cruzes, minhas botas pesadas, meus espartilhos…Já que você não usa o MSN, vou te mandar um e-mail para conversarmos melhor! Apesar d ter uma vida corrida e não poder te ajudar com o blog, sempre tenho tempo para novas amizades.Beijos

Em busca de respostas? Eu também, então deixe seu comentário, opinião ou sugestão que lerei com muito carinho

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: