Pensando na velha teoria da Metamorfose de Kafka, aquela onde nunca se faz bem o suficiente para alguem a ponto de no fim, as pessoas se manterem ao seu lado quando você se tornar um estorvo.
As pessoas se orgulham de serem normais, de pagarem a escola do filho, de fazerem sexo com a esposa que cada vez engorda mais uma vez por semana, de pagarem as contas em dia e caminharem em shoppings…
O que eu quero é um pouco de espaço para minha metamorfose, e este espaço é quase um mundo, um mundo de saidas, com os móveis afastados, onde as pessoas não me vejam como um largato, mas como alguem que ousou metamorfosear…
O que eu quero é não ter medo de ser diferente
Não ter medo de pensar
Não ter medo de ser
Não ter medo de sentir
Não ter medo de morrer no final, como em toda boa metamorfose por dentro de você.

Nada é estranho, ou talvez tudo neste mundo seja se olharmos de perto.
http://www.culturabrasil.pro.br/ametamorfose.htm

Em busca de respostas? Eu também, então deixe seu comentário, opinião ou sugestão que lerei com muito carinho

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: