I gonna to tell you a secret

Escrevi ontem a noite, mas acabei por guardar para mim, mas tem coisas que merecem ser postadas, no fim

Das coisas que não gostava sempre soube muito bem o que eram e como funcionavam, uma delas era estar no meio do caminho de alguém quando não deveria estar ali, simplesmente sabia que não servia para isto e tão pouco gostaria de aprender a ficar parada ali, no meio da vida de duas pessoas.
Sempre achou estas situações muito complicadas e chatas e quando se via enfiada numa destas preferia partir do que esperar a situação piorar ou pior: servir como uma boneca que servia para duas coisas: de um lado, uma companhia barata, do outro, um vodu para alfinetadas. Nunca acontecera algo semelhante em sua vida, ou ao menos julgara que não, afinal nunca permitira que acontecesse e estava decidida a não permitir.
Quando resta sentimentos por parte de ao menos uma pessoa, e uma delas não deixa que isto se apague e a conexão continua, fica-se ali numa corrente longa onde sempre se limitará um terceiro que tentará se aproximar.
Não gostava de se sentir assim, sentia-se insegura, não com as pessoas, mas com ela mesmo, que tinha tanto medo de entregar o mínimo que fosse de seus sentimentos, não era ciumenta, tão pouco gostava de quem o fosse de uma forma não moderada, tinha mania de prever o fim antes do desenrolar depois do começo e mão queria de forma alguma chegar no fim de outras pessoas, e ficar segurando restos de sentimentos no meio, era tão horrível.
Ela era apenas uma desconhecida que um dia estava parada na rua com seu cigarro, sua maquilagem borrada e seus saltos, sabia disso, mas sabia também o que merecia, afinal era sincera, e tudo o que gostaria era de sinceridade sempre, mesmo que esta sinceridade fosse deixa-la para trás, só não queria se machucar, ou estar entre sentimentos passados de alguém, preferia se retirar dignamente, enquanto ainda era tempo.
Achava estranho gostar de alguém, era isso, e gostar assim já era um gigantesco passo para quem não tinha um coração a muito, mas preferia perder isso a estar no caminho de quem gostava, e preferia vê-lo sempre feliz e bem a leva-la como peso ou distração.

Lembrou-se de um poema de Vinicius de Moraes e o leu para si mesma:

eu deixarei que morra em mim o desejo de amar os teus olhos que são doces.
Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres eternamente exausta.
No entanto a tua presença é qualquer coisa como a luz e a vida.
E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto e em minha voz a tua voz.
Não te quero ter porque em meu ser tudo estaria terminado.
Quero só que surjas em mim como a fé nos desesperados.
Para que eu possa levar uma gota de orvalho nesta terra amaldiçoada
Que ficou sobre a minha carne como nódoa do passado.
Eu deixarei… tu irás e encostarás a tua face em outra face.
Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada.
Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu, porque eu fui o grande íntimo da noite.
Porque eu encostei minha face na face da noite e ouvi a tua fala amorosa.
Porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço.
E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado.
Eu ficarei só como os veleiros nos pontos silenciosos.
Mas eu te possuirei como ninguém porque poderei partir.
E todas as lamentações do mar, do vento, do céu, das aves, das estrelas.
Serão a tua voz presente, a tua voz ausente, a tua voz serenizada.

Então acendeu um cigarro e desejou não mais pensar nisso, por mais que tudo teimasse sempre em mostrar poucas evidencias… E não tocaria neste assunto jamais… Céus, como complicava tudo o que tocava!

“Bad girl drunk by six
Kissing some kind stranger’s lips
Smoked too many cigarettes today
I’m not happy, I’m not happy

Something’s happened and I can’t go back
I fall apart every time you hand your heart out to meWhat happens now, I know I don’t deserve you
I wonder how I’m ever gonna hurt you
Can’t bring myself to let you go”

(ainda bem que meu diário pessoal pra soltar loucuras que me vem na cabeça se chama twitter, e mantenho-o protegido, com a voz dos meus monstros intactas e protegidas nele =D)

2 Responses to “I gonna to tell you a secret”

  1. Ah, nem sei por que postei isto hj! Mas não gosto de manter preso num bauzinho as coisas que escrevo, se senti, merece vir pra este esconderijo pra que eu possa ler dias depois, e talvez rir de tudo

  2. :********************************* queria te encher de amassos.😀

Em busca de respostas? Eu também, então deixe seu comentário, opinião ou sugestão que lerei com muito carinho

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: